Representações discursivas da nação portuguesa na voz do poder

O caso das Tomadas de Posse de Pedro Passos Coelho e António Costa

  • Jorge Gomes da Costa Escola Superior de Tecnologia e Gestão - Instituto Politécnico de Leiria
Palavras-chave: poder, Estado, discurso político, representação, identidade

Resumo

O presente artigo visa analisar as práticas discursivas de representação da nação portuguesa a partir dos discursos de Tomada de Posse dos Primeiros-Ministros, Pedro Passos Coelho e António Costa (em junho de 2011 e novembro de 2015, respetivamente). Com base numa abordagem propositadamente transdisciplinar, a análise permite identificar e compreender os mecanismos usados pela voz do poder português para reforçar a sua legitimidade, impor um determinado estilo de liderança e apresentar a sua conceção ideológica da nação, através de estratégias que visam promover a adesão a esta visão, por parte do público-alvo. No final, demonstra-se que apesar do caráter distintivo da visão que cada um dos dirigentes preconiza para o futuro do país, as opções discursivas escolhidas para veicular essa visão, bem como a argumentação que sustenta os seus discursos, se aproximam grandemente, dadas as características em comum que apresentam.

Palavras chave: poder, Estado, discurso político, representação, identidade

Publicado
2018-11-28
Como Citar
Gomes da Costa, J. (2018). Representações discursivas da nação portuguesa na voz do poder. Diacrítica, 32(1), 69-93. https://doi.org/https://doi.org/10.21814/diacritica.144
Secção
Argumentação e Discursos