ECOS DE A COSTA DOS MURMÚRIOS EM A NOITE DAS MULHERES CANTORAS, DE LÍDIA JORGE

ESQUECIMENTO, MEMÓRIA E PARÁBOLAS SOCIAIS

  • Leonor Simas-Almeida Department of Portuguese and Brazilian Studies, Brown University, Providence, USA.

Resumo

O propósito deste ensaio é basicamente estabelecer paralelismos possíveis ou, se quisermos, relações de contiguidade entre dois romances de Lídia Jorge separados por várias décadas: A Costa dos Murmúrios (Jorge, 1998) e A Noite das Mulheres Cantoras (Jorge, 2011). Procuro demonstrar como ambos podem ser lidos como parábolas sociais — sobre temáticas bem diferenciadas — construídas sobre o binómio esquecimento / memória. A nível especificamente estrutural, os dois romances incluem cada um narrativas breves, representando o impulso de esquecer ou ocultar, seguidas de narrativas longas, cujo principal objetivo é lembrar ou desmascarar o que antes se escondera.

Publicado
2018-10-03
Como Citar
Simas-Almeida, L. (2018). ECOS DE A COSTA DOS MURMÚRIOS EM A NOITE DAS MULHERES CANTORAS, DE LÍDIA JORGE. Diacrítica, 31(2), 19. https://doi.org/10.21814/diacritica.235
Secção
A emoção na criação literária e cultural