Abstinência de Purpurina

A prática e a investigação

Autores

  • Cátia Ferreira dos Santos Faísco DEINA - Universidade do Minho
  • Roberta Campos Preussler

DOI:

https://doi.org/10.21814/diacritica.302

Palavras-chave:

Palavras-chave: autoficção, prática como investigação, criação coletiva, site specific.

Resumo

Abstinência de Purpurina é um espetáculo teatral desenvolvido pelo coletivoCASA[1] com o propósito de conjugar a prática cénica com a investigação artística. Desde a sua génese, o projeto visou explorar em palco um pensamento teórico, bem como observar e desenvolver de que maneira é que o mesmo era integrado no corpo da atriz e na sua relação com o público.

O espetáculo parte do conceito literário de autoficção (Doubrovsky), como forma de explorar três tipos de relação: atriz versus personagem; personagem versus espectador; espectador versus indivíduo. Através desta experiência teatral, a investigação teórica procurou revelar de que modo a atriz e o público se tornam (ou não) vulneráveis e reflexivos ao participar do evento.

Numa perspetiva de multiplicação da fala dos seus interlocutores, Abstinência de Purpurina foi pensado e concretizado com base num processo de criação coletiva. Partindo do desenvolvimento do texto para a concepção do cenário, o coletivoCASA explorou a aplicabilidade da noção de hierarquias flutuantes.

Procurando uma adequação à realidade do tecido teatral português, a investigação deslocou-se para o conceito de site specific, explorando espacialmente alternativas que conjugassem a visão estético-plástica do espetáculo.

 

 

 

Downloads

Publicado

2019-11-19

Como Citar

Faísco, C. F. dos S., & Preussler, R. C. (2019). Abstinência de Purpurina: A prática e a investigação. Diacrítica, 33(1), 77–86. https://doi.org/10.21814/diacritica.302

Edição

Secção

What is artistic research?: Presuppositions, Practices and Problematizations