USO DE CORRETOR ORTOGRÁFICO EM PRODUÇÕES TEXTUAIS INFORMATIZADAS

UMA ANÁLISE PROCESSUAL COMPARATIVA

Autores

  • Thalia de Oliveira Kasiorowski Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)
  • Paula Ávila Nunes Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) http://orcid.org/0000-0002-9696-0625

DOI:

https://doi.org/10.21814/diacritica.327

Palavras-chave:

corretor ortográfico, produção textual informatizada, educação tecnológica, revisão textual

Resumo

Num contexto de crescente presença tecnológica em cenário educacional, o objeto recortado nesta pesquisa foi o uso que estudantes de graduação fazem do corretor ortográfico em processadores de texto. Propôs-se a calouros dos cursos de Engenharia e de Letras Português, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), no Brasil, a elaboração de um texto, no processador Word, tendo disponível o corretor ortográfico em modo não automático. O processo de escrita gravado por meio de softwares de gravação de tela. Tomaram-se como indicadores específicos para a análise o fato de os estudantes terem corrigido as marcações da ferramenta com base nas sugestões dadas pelo corretor ou em seus conhecimentos, o número de inadequações gráficas ou sintáticas e os erros mecânicos. Constatou-se elevado grau de confiança no corretor, o que pode prejudicar, especialmente, a etapa de revisão textual. Houve, entretanto, casos de usos consideravelmente contextualizados. Em comparação, concluiu-se que o grupo de Letras se destacou por apresentar um nível de consciência maior ao usar a ferramenta. A pesquisa discute, nesse contexto, a imbricação entre linguagem e tecnologia (Cupani, 2011; Feenberg, 2002; Pinto, 2005); as revoluções tecnolinguísticas (Auroux, 1992; Coulmas, 2014; Fayol, 2014; Haas, 1996); e a educação em ambiente tecnológico (Sibilia, 2012).

Downloads

Publicado

2020-04-07

Como Citar

Kasiorowski, T. de O., & Nunes, P. Ávila. (2020). USO DE CORRETOR ORTOGRÁFICO EM PRODUÇÕES TEXTUAIS INFORMATIZADAS: UMA ANÁLISE PROCESSUAL COMPARATIVA. Diacrítica, 34(1), 311–335. https://doi.org/10.21814/diacritica.327

Edição

Secção

Línguas & Tecnologias: modalidades, desafios e experiência