A Morfologia Derivacional na Aquisição do Português como Língua Estrangeira / Língua Segunda

  • Rui Pereira Universidade de Coimbra
Palavras-chave: Léxico, Morfologia, Português, Aquisição, Língua Segunda

Resumo

Com base nas características gramaticais das palavras derivadas e no modo como são processadas mentalmente, argumenta-se a favor do ensino explícito dos processos de formação de palavras por promover o enriquecimento do léxico do aprendente de Português Língua Estrangeira ou Língua Segunda e favorecer o reconhecimento, interpretação e produção de palavras, sejam elas totalmente novas ou não, o que é muito importante se se tiver em conta que muitas palavras morfologicamente complexas não aparecem nos dicionários. Vários estudos têm mostrado que a melhoria do conhecimento morfolexical por parte do aprendente estrangeiro diminui o recurso constante ao dicionário e acelera os processos de leitura e de produção linguística (oral e escrita).

Na segunda parte do artigo, apresenta-se o tipo de conteúdos e de atividades didáticas que podem ser desenvolvidas nas aulas de PLE ou PL2 com vista ao desenvolvimento da componente derivacional dos aprendentes.

Publicado
2019-12-16
Como Citar
Pereira, R. (2019). A Morfologia Derivacional na Aquisição do Português como Língua Estrangeira / Língua Segunda. Diacrítica, 33(2), 278-298. https://doi.org/10.21814/diacritica.363
Secção
Linguística Experimental e Variedades do Português