Quando o arquivo vomita Salazar

Representações da mulher no cinema português contemporâneo

  • Adriana Martins Faculdade de Ciências Humanas/ Universidade Católica Portuguesa, Lisboa, Portugal. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5167-3094
Palavras-chave: Arquivo, Cinema Português, Representações fílmicas da mulher, Realizadoras portuguesas

Resumo

Partindo da provocadora tela de Paula Rego, “Salazar a Vomitar a Pátria”, este ensaio discute algumas representações fílmicas da mulher portuguesa do Estado Novo, a partir de uma seleção de filmes de realizadoras portuguesas contemporâneas que lançam mão de memórias públicas e privadas e de diferentes materiais de arquivo para questionar a representação pública da ditadura. A partir de uma perspetiva feminina e comparada, o ensaio examina as lacunas epistemológicas do arquivo e reflete sobre como estas, para além de desvelarem intrincados processos de manipulação ideológica que ilustram a violência do arquivo e o seu caráter disciplinador (Foucault 1972; Derrida 1995), interrogam o cinema como médium privilegiado de formação, circulação e reconfiguração da memória cultural.

Publicado
2020-07-30
Como Citar
Martins, A. (2020). Quando o arquivo vomita Salazar. Diacrítica, 34(2), 48-61. https://doi.org/10.21814/diacritica.504