A re-emergência literária de vozes e memórias femininas silenciadas durante a ditadura militar brasileira

  • Alessia Di Eugenio Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas Modernas/ Universidade de Bolonha, Bolonha, Itália. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5648-2438
Palavras-chave: ditadura, feminismo, mulheres, literatura

Resumo

As vozes das mulheres brasileiras hoje incomodam muito e o poder político conservador tenta continuamente (re)estabelecer a prioridade de fala dos homens e a ilegitimidade da presença das mulheres como sujeito político no espaço público. Neste particular momento político é interessante olhar para as experiências de mulheres que viveram e lutaram durante outro momento brutalmente conservador da história brasileira, aquele dos vinte e um anos da ditadura civil-militar. Em particular porque o governo Temer e o governo Bolsonaro construíram uma conexão explícita com a época da ditadura e porque o surgimento do movimento feminista brasileiro está ligado à historia da participação das mulheres na luta de oposição ao autoritarismo dos anos 60 e 70. Através de uma reconstrução das publicações de depoimentos e relatos de mulheres e romances escritos por mulheres, queremos refletir sobre o processo de transmissão da memoria feminina da luta contra a ditadura – entre remoção histórica e re-emergência literária – e sobre a temporalidade desta memoria para entender melhor a sua herança em relação às lutas que enfrentam hoje as mulheres brasileiras.

Publicado
2020-07-31
Como Citar
Di Eugenio, A. (2020). A re-emergência literária de vozes e memórias femininas silenciadas durante a ditadura militar brasileira. Diacrítica, 34(2), 236-248. https://doi.org/10.21814/diacritica.524