Música e poder em Confúcio e Mao Zedong

Autores

  • Sofia Beatriz Silva Universidade Nova de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.21814/diacritica.550

Palavras-chave:

música, Mao Zedong, política, propaganda

Resumo

A atividade musical sempre foi, para Mao Zedong e o Partido Comunista Chinês, um importante instrumento de propaganda, servindo como agente modelador das ações e formas de pensar, agir e sentir da população chinesa ao longo das várias fases que compõem a história chinesa de meados do séc. XX. As canções revolucionárias, acessíveis à generalidade da população através do sistema de ensino e dos diversos meios de comunicação social disponíveis à época, permitiram uma veiculação mais eficaz das ideias e medidas impostas pelo partido, contribuindo, desta forma, para a consolidação do seu poder.

Downloads

Publicado

2020-12-14

Como Citar

Silva, S. B. (2020). Música e poder em Confúcio e Mao Zedong. Diacrítica, 34(3), 196–206. https://doi.org/10.21814/diacritica.550

Edição

Secção

Cultura, Filosofia e Literatura