Adaptação acentual de empréstimos de origem japonesa no Português Brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21814/diacritica.561

Palavras-chave:

Fonologia, Acento, Português Brasileiro, Empréstimos, Japonês

Resumo

Este trabalho tem como principal objetivo investigar a adaptação do acento de empréstimos de origem japonesa no português brasileiro (PB). A partir de um corpus lexical composto por empréstimos, se observou como ocorre a adaptação acentual através de dados de fala gravados no bairro da Liberdade, em São Paulo, com o objetivo de comparar a produção de falantes descendentes de japoneses com a de falantes da região com qualquer ascendência. A partir das análises, concluiu-se que o acento oxítono é ainda produtivo no português, sendo presente em 49% dos dados de fala de falantes de São Paulo de origem não japonesa, e 52% de falantes de origem japonesa. Também foi observado que há uma tendência para que vogais longas do japonês sejam adaptadas para o português como sílabas acentuadas pelo fator de duração, enquanto o acento pitch do japonês não é reconhecido ou reproduzido neste processo de adaptação. Por fim, os dados mostram que a atribuição de acento no português brasileiro é influenciada pelo peso silábico, como sugerido por autores como Ferreira Netto (2001), Wetzels (2003, 2007).

Downloads

Publicado

2020-12-14

Como Citar

Agostinho, A. L., & Richter, L. (2020). Adaptação acentual de empréstimos de origem japonesa no Português Brasileiro. Diacrítica, 34(3), 96–122. https://doi.org/10.21814/diacritica.561

Edição

Secção

Linguística Aplicada