Construções aspectuais [andar + gerúndio] e [viver + gerúndio] no português

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21814/diacritica.630

Palavras-chave:

Verbal aspect. Verbal Construction. Linguistic variant.

Resumo

Este trabalho elegeu como objeto de estudo duas construções aspectuais da língua portuguesa: [V1ANDAR + V2GERÚNDIO] e [V1VIVER + V2GERÚNDIO]. A partir de uma análise quantitativa e qualitativa de 542 dados coletados no banco de dados do Corpus do Português (https://www.corpusdoportugues.org/), num recorte sincrônico que contemplou três séculos (XVIII, XIX e XX), avaliou-se a hipótese de que tais construções seriam variantes linguísticas. Os resultados acusaram que, a despeito de ambas as construções evocarem a noção de iteração, elas não são variantes linguísticas.  Constatou-se que a construção cujo auxiliar é o verbo VIVER denota uma noção aspectual cujo limite do tempo interno é desconhecido, enquanto a construção que tem ANDAR como verbo auxiliar traduz uma noção aspectual cujo limite de tempo e sua duração são conhecidos. Identificou-se, ainda, que as construções introduzidas pelo verbo ANDAR são mais susceptíveis a serem ambíguas do que aquelas introduzidas pelo verbo VIVER.

Downloads

Publicado

2021-05-06

Como Citar

Teixeira Ferreira, A. C., & Coelho, S. M. (2021). Construções aspectuais [andar + gerúndio] e [viver + gerúndio] no português. Diacrítica, 35(1), 5–29. https://doi.org/10.21814/diacritica.630

Edição

Secção

Tempo e Aspeto nas Línguas Românicas: Sincronia e Diacronia