O processamento de pistas de contextualização por estudantes haitianos no contexto de ensino do português brasileiro como língua de acolhimento

  • Rodrigo Albuquerque Universidade de Brasília

Resumo

O contato intercultural oferece grande probabilidade para desalinhamentos interacionais, afetando o mútuo entendimento dos interlocutores, em razão dos distintos enquadres culturais em que os sujeitos se inserem. Diante dessa potencial não partilha de sentidos, nosso estudo visa a investigar que pistas de contextualização são processadas por aprendizes haitianos de português brasileiro como língua de acolhimento em contato com a professora nativa. Para tanto, o nosso estudo, enquadrado na sociolinguística interacional, reúne, especialmente, as contribuições de Grosso (2010) e Cabete (2010), no que tange ao novo contexto socioeducativo reivindicado pela agenda da língua de acolhimento, bem como de Gumperz (1982) e Albuquerque (2009, no prelo), relativas ao debate de pistas de contextualização. Como procedimentos metodológicos, realizamos notas de campo, sob as recomendações etnográficas, registrando a interação entre Patrícia (professora brasileira) e seus estudantes haitiano (João e Natália). Os excertos interacionais revelaram, de modo geral, que Natália não processou adequadamente as pistas de ordem não linguística que faziam referência ao termo Brasil, porém, assim como João, processou os sinais linguísticos e não linguísticos concernentes ao entendimento da expressão Tiradentes. Salientamos, por fim, que a sala de aula deve ser o cenário para dar visibilidade à construção conjunta de sentidos entre os atores sociais, constituindo-se, assim, como espaço para o acolhimento, a integração e a (re)construção identitária dos aprendizes.

Biografia Autor

Rodrigo Albuquerque, Universidade de Brasília

É professor adjunto I no Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas (LIP) da Universidade de Brasília, credenciado ao Programa de Pós-graduação em Linguística (PPGL) da mesma instituição. Atua, especialmente, nas áreas de sociolinguística interacional, estudos etnográficos, cognição social, linguística de texto e ensino de português brasileiro como primeira língua e como língua adicional. Sobre a formação acadêmica, é doutor em Linguística pela Universidade de Brasília, Mestre em Linguística pela mesma universidade e graduado em Letras Português do Brasil como Segunda Língua também pela UnB.

Publicado
2018-11-28
Como Citar
Albuquerque, R. (2018). O processamento de pistas de contextualização por estudantes haitianos no contexto de ensino do português brasileiro como língua de acolhimento. Diacrítica, 32(1), 135-158. https://doi.org/10.21814/diacritica.65